Click para ler as mensagens dos Missionários
Click para ler várias mensagens dos Missionários e Missionãrias pelo mundo

"A espera de um milagre"

Há mais ou menos duas semanas atrás, fui informado da necessidade de substituir um pastor na coordenação na viagem dos barcos Linda Esperança e Amor Esperança da Missão Amazon Outreach para o Baixo Amazonas, onde viajaria com cerca de 40 jovens americanos.
Quando concluímos o trabalho em Carará (Urucará), partimos para a comunidade de São Benedito e no dia seguinte para Boa Vista do Ramos, onde o evangelista Sérgio Alves e sua equipe nos aguardavam com tudo planejado e dividimos o grupo em três equipes. A primeira ficou no futebol juntamente com os Atletas de Cristo local, a segunda reuniu no ginásio com 200 jovens e a terceira equipe foi para o hospital.
Ao chegarmos no hospital, encontramos um ambiente de alvoroço, pois uma senhora que tinha sido operada há dois dias estava morrendo e o médico do município estava ausente. Em meio aquela agitação pedimos para orar com aquela senhora, mas sua irmã nos expulsou da sala e ficamos aguardando do lado de fora. Neste momento Dr. Roberth, médico do barco, veio ao nosso encontro e o informei a situação e ele foi vê-la imediatamente. A senhora já estava sendo assistida por outro profissional e juntamente com Dr. Roberth diagnosticaram hipoglicemia (baixa taxa de açúcar) no organismo, eles administraram a medicação que a fez reviver. Segundo Dr. Roberth, se aquela senhora não tivesse sido socorrida e medicada naquele instante, teria morrido.
Os familiares que antes estavam tão hostis, após a melhora da paciente vieram nos agradecer pela ajuda. Ainda no hospital, encontramos uma senhora em trabalho de parto que foi imediatamente atendida pelo Dr. Roberth, auxiliado por uma jovem da equipe brasileira.
Diante de tudo isso, pude constatar a importância do trabalho que o Senhor Jesus tem colocado em nossas mãos, para sua glória.
«Então, dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai! Entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo. Porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me destes de beber; era forasteiro, e me hospedastes; estava nu, e me vestistes; enfermo, e me visitastes; preso, e fostes ver-me. Então, perguntarão os justos: Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Ou com sede e te demos de beber? E quando te vimos forasteiro e te hospedamos? Ou nu e te vestimos? E quando te vimos enfermo ou preso e te fomos visitar? O Rei, respondendo, lhes dirá: Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizeste a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes». (Mt 25:34-40)

Pr . João Wilson Vasconcelos
Publicado no boletim 687 de 21/Mar/2010


Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração. (Hb 4:12)

Desejo contar-lhes uma experiência de nossa primeira viagem de regresso ao trabalho nos barcos hospitalares, que retomamos a partir de fevereiro de 2010.
Estávamos no município de Barreirinha, no Baixo Amazonas, onde nos permitiram usar salas do ginásio esportivo para fazermos o atendimento médico-odontológico. Fora, no campo de futebol, outro grupo trabalharia com as crianças.
No terceiro e último dia nesta cidade, por volta das 10h30 entra uma mulher aparentando uns 40 anos, e começou contar-me o seu problema. Por muitos anos ela teve um problema de sangramento genital e, em seguida passei a anotar sua extensa história clínica. Perguntei-lhe se poderia ler uma história da palavra de Deus e ela aceitou. Comecei a ler o livro de Marcos do capítulo 5:22 em diante, sobre a história da mulher que tocou as vestes de Jesus. (Aconselho o leitor parar, e ler a passagem). Ao chegar aos versos 25 e 26, seus olhos ficaram vermelhos e ela começou a chorar tão alto, ao ponto das pessoas que estavam próximas ao consultório fazerem silêncio para entender o que estava acontecendo. À medida que eu lia a história, a paciente repetia “é como minha vida, é como a minha vida”. Quando ela se acalmou um pouco, continuei lendo sem comentar nada, quando chegou no trecho em que a mulher tocou o manto de Jesus e foi curada, então eu disse: “Ainda hoje, Jesus está passando por aqui, e você pode tocar em seu manto, se você tiver fé. Ele quer te curar, não só o seu corpo, mas toda a sua vida. Juntos lemos alguns versos sobre Jesus, e os meus comentários foram muito poucos, em minutos, mas, ela fazia a oração de confissão de pecados e aceitou Jesus em sua vida.
Naquele dia, lembrei que a "Palavra de Deus tem poder em si mesma". Hebreus 4:12.
A mulher saiu do lugar com uma Bíblia e sentindo-se livre de sua doença e dos seus pecados, já que os tinha deixado naquela manhã aos pés da cruz de Cristo. Esta e outras histórias acontecem a cada viagem e as igrejas do interior vão crescendo dia a dia.
São pessoas como ela, que vivem nas comunidades, que dissiparão a escuridão espiritual da floresta com a luz do Evangelho.
Desejo que cada um que leia estas linhas diga Amém, continue orando e contribuindo para a extensão do Evangelho em nossos rios, nosso Brasil e no mundo todo.
Em Cristo, seu servos,

Dr. Pablo Freille e família
Publicado no Boletim 686 de 15/Mar/2010


JESUS: O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA

Era a última semana do ministério de Jesus. A cidade de Jerusalém estava fervilhando de peregrinos. A festa da Páscoa havia chegado mais uma vez. O sinédrio judaico, já havia contratado testemunhas falsas para acusar a Jesus. Judas, movido pela ganância, já o havia vendido e aguardava o momento de entregá-lo. É nesse clima tenso que Jesus se reúne com os discípulos no Cenáculo e ministra ao coração deles uma palavra de esperança e consolo. Descortina diante dos olhos desses homens aflitos seu propósito de preparar para eles um lugar na Casa do Pai, revelando-lhes que eles já sabiam o caminho para onde iria. Tomé, o patrono do ceticismo, retruca incontinente: "Senhor, não sabemos para onde vais, como saber o caminho?" (Jo 14.5). Jesus, então, lhe responde: "Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim" (Jo 14.6). Jesus faz uma auto-apresentação assaz significativa neste texto. O que na verdade, ele estava dizendo?
1. Jesus é o caminho para Deus - Jesus não é um dentre muitos outros caminhos. Ele é o único caminho. O cristianismo não lida com uma fé inclusivista. Jesus foi absolutamente exclusivista. Não existem atalhos para Deus. Não existem outras rotas que conduzem o homem ao céu. A expressão popular que proclama que toda religião é boa e todos os caminhos levam a Deus é uma mentira deslavada. A Bíblia diz que há caminhos que parecem direito ao homem, mas no final são caminhos de morte. Jesus é o único caminho que leva o homem a Deus. Jesus é a única porta do céu. Jesus é o único mediador entre Deus e os homens. Jesus é o único Salvador do mundo. Procurar ir a Deus por meio de outros mediadores é tomar um caminho largo que conduz à ruína. Abraçar uma religião que nega a exclusividade de Cristo como o único caminho para Deus é entrar por uma estrada cujo destino final é a perdição eterna.
2. Jesus é a verdade que ilumina a mente - Jesus não é um enganador. Ele não é um farsário. Ele é cheio de graça e de verdade. Ele não apenas viveu a verdade e pregou a verdade. Ele é a própria verdade. A verdade não é relativa como apregoam alguns nem flácida como pensam outros. A verdade é objetiva, translúcida e absoluta. A verdade é Jesus. Ele não é uma dentre muitas verdades. Ele não é uma divindade no panteão de muitas outras divindades. Ele não é uma das teorias dentre muitas outras propostas religiosas. Jesus é a única verdade capaz de encher nossa mente de luz e aquecer nosso coração com sólida segurança. Jesus não é uma verdade descoberta pelo homem, mas revelada por Deus. Nós o conhecemos não pelo esforço da destreza mental. Nós o conhecemos porque ele se revelou, porque ele se fez carne, porque ele tabernaculou-se entre nós cheio de graça e de verdade.
3. Jesus é a vida que satisfaz - Jesus é a vida, pois ele é a fonte da vida física e espiritual. O pecado separou o homem de Deus e o matou espiritualmente. O homem sem Deus está morto nos seus delitos e pecados. O homem sem Deus não tem apetite pelas coisas espirituais. Ele está cego para as coisas lá do alto. Seu coração está endurecido e rebelado contra Deus. O homem sem Deus é escravo do pecado, do mundo, da carne e do diabo. Ele se alimenta de cinzas e caminha para a morte eterna, porém, somente Cristo pode salvá-lo. Jesus é quem dá a vida e ele é a vida. Nenhuma religião pode tirar o homem da morte espiritual. Nenhum ritual pode levantá-lo da sepultura existencial. Somente Jesus tem a vida. Somente Jesus concede a vida. E somente Jesus é a vida. O homem busca razão para a vida em muitas fontes. Mas todas essas fontes são poluídas. O homem procura prazer na bebida, na riqueza, no sexo e no sucesso, mas o fim dessa linha é desgosto e insatisfação. Jesus, e só ele é a vida que satisfaz. Ele oferece vida e vida em abundância a todos aqueles que nele crêem.

Rev. Hernandes Dias Lopes
Publicado no Boletim 673 de 13/Dez/2009


105 ANOS - GRATIDÃO E ESPERANÇA

Desde que em 18 de novembro de 1904 foi organizada a Igreja Presbiteriana de Manaus (IPM), a semente do Evangelho, trazida para o Amazonas pelos nordestinos, não parou de crescer. E os frutos, de acordo com o pastor emérito da Igreja. Reverendo Caio Fábio D´Araújo, podem ser vistos hoje, quando a Igreja estende seu trabalho de ensinamento da Palavra de Deus, assistência médica, odontológica não só em Manaus, mas também a 100 comunidades em municípios carentes do interior.
Foi no início do século que chegaram os nordestinos ao Amazonas, buscando o “ouro negro”, a borracha, que fazia economia do Estado crescer espetacularmente. E com eles, veio a semente da Igreja Presbiteriana. Pelo mais antigo documento que se tem notícia, em 1900 havia um núcleo de crentes no Amazonas, entre os quais destacam-se os presbiterianos Manoel Simplício e José Damião de Souza Melo. Aquela época, eles participaram da “Igreja Livre de todas as denominações evangélicas”. Em 1902, chega em Manaus o reverendo Lourenço de Barros, ministro ordenado pelo Presbitério de Pernambuco, que assume a direção da Igreja Livre. Em 1904, junta-se ao reverendo W. M. Thompson e em 18 de novembro organizam a Igreja Presbiteriana de Manaus, que passa a pertencer a jurisdição do presbitério de Pernambuco. Com a morte de Lourenço de Barros em 1905, a Igreja passa por períodos de dificuldades e decadência já que fica sem o pastor até o ano de 1917, quando assume o reverendo Raimundo Bezerra Lima A Presbiteriana inicia uma fase de crescimento, interrompida em 1922. Só em 1927, o presbitério do Norte reuniu-se pela primeira vez em Manaus designando o reverendo José Bezerra Duarte, recém-ordenado pastor para esta igreja, onde fica por dois anos. Em 03 de março de 1931 assume o reverendo Alcides Nogueira, ficando até outubro de 1941. De 1942 a 1945, é designado para IPM o reverendo Josafá Xavier Siqueira; de 1946 a 1948, volta o reverendo José Bezerra Duarte; de 1949 a 1950 o pastor Nehemias Castelo Branco assume a Igreja, deixando-a em 1951 com o reverendo José Catanhede de Mattos Filho, que construiu a Casa Pastoral e Pavilhão Social. Inicia-se o trabalho de evangelização nos bairros do Educandos, Petrópolis e Crespo. De 1958 a 1960 assume o Pr. Felintho Almeida que constrói o segundo templo.
De 1961 a 1966, o reverendo Elio Nogueira Castelo Branco assume o trabalho dando ênfase à evangelização e assistência social e inicia a igreja no bairro de São Jorge.
Começa o trabalho no bairro de Petrópolis. Em 1971 a 1972 volta o reverendo Elio Nogueira Castelo Branco.
Em 1973, quando a Igreja atravessava um período de frieza espiritual, é designado pelo Presbitério do Amazonas, o reverendo Caio Fabio D'Araujo. Ele inicia o trabalho que em 1974 é impulsionado pela liderança de seu próprio filho, Caio Fábio, na Mocidade da Igreja, atraindo centenas de jovens para o evangelho de Jesus Cristo. Caio Filho foi ordenado pastor em 1977.
O pastor Caio Fabio D'Araujo pastoreou a igreja por 25 anos, foi o mais longo pastorado e aindo foi pastor emérito por 10 anos.
Em 1997 o pastor José João Mesquita foi eleito pastor efetivo, empossado em 1998 e continua até os dias de hoje. Tem tido a bênção de Deus de ser ajudado por outros 28 pastores auxiliares, muitos evangelistas, voluntários e funcionários dedicados.
Nossa gratidão a muitos que já partiram para a glória, a outros que apesar da idade ainda labutam na seara do Mestre (não citamos os nomes para não esquecer alguns cometendo assim injustiça).
Imaginem nos próximos anos nossos grupos familiares se multiplicando, missões avançando, o Espaço Pedras vIvas completamente reformado com salas para os ministérios, biblioteca, livraria, salão social, Escola Bíblica, grupos familiares. O Musical sendo realizado lá e também os nossos congressos.
Após o culto da noite o povo saindo para um grande jardim com muitas flores, outros indo para a praça de alimentação para continuar a comunhão.
A IPM impactando o Carnaval, o Boi Manaus, anunciando o amor e o perdão de Deus para todos e ganhando muitos para Jesus Cristo. Realizando grandes apresentações com cantores nacionais.
Este sonho está ao nosso alcance, se cada um orar, trabalhar, contribuir e der o melhor de si para o Senhor.

PARABÉNS IPM PELO TEU DIA!

Publicado no Boletim 669 de 15/Nov/2009


ALEXANDRE

Conhecíamos Alexandre há mais de cinco anos. Chegou com 20 e poucos, com o cérebro já detonado pelo crack. Durante o curso de discipulado foi alcançando coerência, e, ao fim de seis meses, voltou à sua casa para fazer vestibular, ciente do que queria: ser piloto missionário. Terminou o ensino médio, inspirou o pai a estudar e fizeram vestibular juntos. O pai passou em direito -- Alexandre, ainda tratando de ser lúcido, não.
Vieram outras crises; a razão saía por uma fresta da janela, ficava uma algaravia religiosa indecifrável. Nas crises, ele nos visitava para longas conversas. Nunca foi mau o rapaz. Eu sempre lhe sabia gentil, apesar das incoerências. Meu marido tinha ouvidos para lhe decifrar as angústias no meio da verborragia. Aconselhava, ouvia.
Nos últimos meses, Alexandre começou a observar minha filha que se tornava menina moça e a notar-lhe a beleza florescendo. Ligava às três da manhã falando da menina que vira no balanço, de suas amiguinhas, do toque puro que lhe deu na perna, de como Deus ama os anjos. Meu instinto de mãe se põe de guarda. Aviso às coleguinhas e, quando Alexandre vem, eu o acompanho ao redor da floresta que circunda a comunidade.
Na terça-feira a bicicleta com adesivo Yokohama para na minha porta. Nesse dia Reinaldo está com pressa. Explica pro Alexandre:
-- Tô de saída. Tenho reunião com pastores na cidade.
O rapaz insiste, mais transtornado que nunca na esperança absurda que tem em Reinaldo.
-- Você é meu pai, meu pastor, eu preciso de você.
Reinaldo começa a se irritar. Explica que não dá. Alexandre implora.
-- Deixa eu voltar pra viver aqui com vocês.
-- Como? Você se droga, anda por aqui observando nossas crianças e me liga de madrugada falando nelas. Como posso confiar pra te deixar morar aqui?
-- Não vou fazer nada com elas, só quero ser como elas, nascer de novo numa família de Deus, Reinaldo. Eu quero ser de Deus e não sei como, será que elas me ajudam?
-- Hoje não posso. Tô atrasado demais. Olha, já fizemos tudo o que podíamos por você. Agora acabou.
-- Como acabou? Não acaba não, olha.
E mostrou um rolo de papel higiênico que tinha nas mãos.
Reinaldo se irritou com aquele rolo -- me contou depois --, mesmo assim segurou a ponta enquanto o menino desenrolava lentamente tirando de dentro uma Bíblia pequena amarfanhada, pra ler o Salmo 136.
-- Olha o que a Bíblia fala: “Rendei graças ao Senhor, porque seu amor dura para sempre”.

E assim foi lendo parado no sol quente ao lado do carro o Salmo todo enquanto Reinaldo tentava lhe dizer que estava atrasado, que era pastor, que conhecia a Bíblia, que voltasse depois ou nem isto.
Foi-se o pastor pra reunião e o garoto em desespero para a estrada quente de bicicleta. Reinaldo disse que ainda o viu quando voltava, pedalando, percebendo o carro, mas nem o parou de novo como seria seu costume. Virou o rosto como se dissesse: “Olhe, você, meu pastor, falhou, me trocou por uma reunião, não me ouviu, deixou que seu amor acabasse, sendo que o amor de Deus nunca acaba”.
Acabou também naquela tarde a história de Alexandre e sua busca por Deus. Na manhã seguinte sua irmã nos ligou, chamando para o velório. O rapaz se matou na tarde anterior nas rodas de uma carreta de carga depois de duas outras tentativas. Choramos eu e Reinaldo muitas lágrimas de angústia, desespero e culpa, e ainda choro enquanto escrevo isto. Por nós, e por todos os Alexandres da vida que encontram na rua os levitas e não os samaritanos.

Revista Ultimato - Bráulia Ribeiro, missionária em Porto Velho, RO,
é autora de Chamado Radical. braulia.ribeiro@uol.com.br
Publicao no Boletim 668 de 08/Nov/2009


A REFORMA NÃO É UMA OPÇÃO, MAS UMA NECESSIDADE

A Reforma não é uma caiação da velha estrutura religiosa, nem uma pele bronzeada para cobrir o esqueleto doente de uma teologia herege. A Reforma não é uma mudança epidérmica motivada apenas pela busca do novo. A Reforma é uma volta às Escrituras, um retorno à doutrina dos apóstolos, um compromisso inalienável com a verdade divina. Vamos aqui abordar três áreas na vida da igreja contemporânea que precisam de Reforma profunda, urgente e bíblica:
1. Precisamos de Reforma na Teologia - A teologia é a base, o alicerce e o fundamento da vida. A ética decorre da teologia e não esta daquela. A teologia determina o comportamento; a doutrina rege a vida. Se a teologia estiver errada, a vida não pode estar certa. A igreja cristã havia se desviado da doutrina dos apóstolos e acrescentado muitos dogmas estranhos e heréticos ao seu arcabouço doutrinário. A Reforma denunciou esses erros, eliminou-os e colocou a igreja de volta nos trilhos da verdade. Hoje, precisamos de uma nova Reforma. Há muitos desvios e muitos acréscimos absolutamente estranhos ao ensino bíblico presentes em algumas igrejas chamadas evangélicas. O liberalismo com sua falsa sapiência duvida da integridade da Escritura e tira dela as porções que lhe incomodam ou interpreta à revelia as partes que lhe convém. Se o liberalismo tira da Escritura o que nela está, o misticismo acrescenta à ela o que nela não está. As igrejas cristãs estão eivadas de práticas que beiram ao paganismo. Estamos vivendo uma geração que está sacrificando a razão, que está promovendo o antiintelectualismo. Precisamos de uma Reforma não só para nos colocar de volta na vereda da verdade, mas também para mostrar-nos que o conhecimento das Escrituras não é contrário à piedade, mas a sua própria base e essência.
2. Precisamos de Reforma na Liturgia - Se a teologia é a base da vida, a liturgia é a manifestação da teologia. Aquilo que cremos, professamos no culto. O culto é a manifestação pública da nossa fé. Uma das razões mais gritantes que evidenciam a necessidade urgente de uma nova Reforma é o esvaziamento da pregação nas igrejas evangélicas. Perdemos a centralidade de Cristo no culto e a primazia da pregação das Escrituras. Estamos nos capitulando à proposta do culto show. Em muitas igrejas o púlpito foi substituído pelo palco, a Bíblia pelo entretenimento e o choro pelo pecado pela encenação glamourosa. As músicas estão se tornando produto de consumo. As letras dessas músicas, com raras exceções, estão cada vez mais vazias de conteúdo bíblico e os cantores gospel cada vez mais populares. Precisamos de liturgia pura, de liturgia que coloque Cristo no centro do culto em lugar do homem no centro. Precisamos de liturgia onde o púlpito não seja governado pelos bancos. Onde a mensagem não seja mercadejada, onde o evangelho não seja diluído para agradar a preferência dos ímpios. Precisamos de uma liturgia que glorifica a Deus, exalte a Cristo, honre ao Espírito Santo, promova o evangelho, edifique os santos e traga quebrantamento aos incoversos.
3. Precisamos de Reforma na Vida - A ortodoxia é boa. Ela é a melhor. A ortodoxia é insubstituível, porém, apenas doutrina certa não é suficiente se nós não a colocamos em prática. A ortodoxia morta mata tanto quanto o liberalismo e é tão nociva quanto o misticismo. Precisamos nos acautelar para não cairmos no laço de um intelectualismo vazio e de uma ortodoxia morta. Precisamos de luz na mente e fogo no coração. Precisamos ter cuidado da doutrina e também da vida. Precisamos crer na verdade e viver na verdade. Precisamos de ortodoxia e de piedade. Há muitas igrejas que não pregam heresia, mas também não vivem a verdade que pregam. Há crentes secos como um poste e áridos como um deserto. Precisamos de uma Reforma que nos ponha de volta no caminho de uma vida cheia do Espírito Santo. Que Deus nos ajude a buscarmos essa Reforma da teologia, da liturgia e da vida!

Rev. Hernandes Dias Lopes
Publicado no Boletim 667 de 31/Out/2009


REFLEXÕES SOBRE A VIAGEM A LUANDA 25/Ago a 03/Set/2009

Angola é um país do sudoeste africano, com aproximadamente 20 milhões de habitantes. O país ficou mais de 400 anos sob o domínio português. Na década de 50, iniciou uma guerra para libertação do pais, que terminou em 11.11.75 com a independência de Angola, sob a liderança do líder Agostinho. Depois começou a guerra civil entre os grupos que trabalharam e lutaram pela libertação.
Em 1991 houve um acordo de paz entre os grupos e eleições gerais em 92 para estabelecer a democracia, mas o grupo derrotado nas eleições não aceitou o resultado das eleições e recomeçou a guerra civil entre o MPLA e a UNITA. O FNLA ficou neutro. (A eleição foi em 17.07.92).
Em 2001, em 04.04 parou a guerra e veio a paz.
Angola fala várias línguas, e a maioria fala português. O símbolo do país é Palanca Negra (um animal semelhante ao alce, grande e negro), que só existe em Angola.
A economia do país tem como base o petróleo e o diamante.
Em Angola ou a pessoa é rica ou é pobre, a classe média começa a existir agora.
Hoje existem muitas empresas do Brasil, China, Rússia, EUA, Portugal e do Vietnã trabalhando no país. Luanda é um canteiro de obras, muita poeira, muitas obras.
A corrupção é muito grande, é uma cultura entranhada na nação. O custo de vida é muito alto. O país tem pouca produção e muito dinheiro.
A igreja Presbiteriana iniciou em 1984 por iniciativa do Pr. Neves Mussaqui, que era pastor da Igreja Reformada. Ele tinha a visão da evangelização, queria abrir igreja em Luanda, mas os líderes não concordavam. Então ele saiu de Quanza-Pombo e veio para Luanda e abriu a IPA Igreja Presbiteriana de Angola. É hoje uma denominação constituída com cerca de 60 igrejas, com 14.000 membros, em 11 províncias. A visão da liderança é alcançar as outras 7 províncias.
Hoje a IPA tem boa relação com a Igreja Reformada.
Os pastores da IPA vivem com muita simplicidade, em casa humildes nos bairros pobres. Eles ganham entre U$ 60 a 200 mensais.
A igreja tem grandes necessidades, pois só um pastor tem curso teológico e outros seis fizeram instituto bíblico, outro está concluindo agora. Todos eles receberam bolsa de estudo da IPM.
Eles precisam ser despertados para maior ousadia na evangelização. Necessitam muito do ensino. Muitas igrejas não têm nem EBD. As igrejas só têm culto domingo pela manhã e algumas reuniões da SAF na semana, ou ensaios, todas realizadas nos templos.
Existem algumas missões trabalhando no país.
Tivemos ensinando numa Conferência de Missões, incluindo grupos familiares, pregamos para as mulheres da SAF e reunimos com liderança maior.
Precisamos pensar em um projeto de 10 anos, você vai apoiar orando, contribuindo e indo?
Angola é também nosso desafio. Que o Senhor nos ajude a ajudá-los.

Pr. José João de Moreira Mesquita
Publicado no Boletim 661 de 20/Set/2009


Dia Internacional de Oração pela Igreja Perseguida.

INTERNACIONAL - Nós devemos orar pelos cristãos perseguidos todos e todos os dias? É claro! Eles precisam das nossas ofertas de orações uma vez que muitos estão na linha de fogo da perseguição pela sua fé. Mas há um único dia a cada ano o segundo domingo de novembro na maioria dos países o qual tem sido designado como o Dia Internacional de Oração pela Igreja Perseguida. E neste dia o domingo de 11 de novembro desse ano milhões de cristãos e milhares de igrejas ao redor do mundo levantarão nossos irmãos e irmãs em oração. Entre os crentes mais severamente perseguidos no mundo estão os ex-muçulmanos (MBB, sigla em inglês). Eles eram seguidores do islamismo que vieram a Cristo. Eles são geralmente rejeitados por suas famílias e afastados de suas comunidades locais, proibidos de compartilhar sua fé, ameaçados, espancados e até mesmo mortos. Enquanto alguns países islâmicos ao redor do mundo dizem permitir a liberdade aos crentes de todas as religiões a praticarem sua fé, a realidade dos grupos cristãos isolados e individuais é muito diferente. Milhares de ex-muçulmanos sofrem perseguição diariamente. A Portas Abertas tem trabalhado entre os cristãos oprimidos por vários anos encorajando, equipando, fortalecendo e auxiliando-os... Fazendo a diferença em suas vidas, sustentada pela oração e contribuição de irmãos em diversos países.
Realidade de muitos países
Na Arábia Saudita, muçulmanos que se convertem ao cristianismo podem enfrentar a morte. No Paquistão, os cristãos são seqüestrados, espancados ou mortos; e mulheres cristãs são algumas vezes violentadas ou forçadas a se casar com homens muçulmanos. Em países como o Irã, Uzbequistão, Indonésia, e Argélia onde muçulmanos representam a grande maioria da população cristãos também temem por suas vidas todos os dias. “Eu era um muçulmano muito devoto, e tudo o que me foi ensinado foi odiar” , disse “Abdul” (nome alterado por questões de segurança), um muçulmano convertido ao cristianismo no Oriente Médio. “Foi-me ensinado a odiar aqueles que não adoram Alá, especialmente cristãos e judeus”.
O Amor que excede as expectativas
“Mas num momento vulnerável da minha vida, quando eu comecei a questionar as coisas, duas famílias se achegaram a mim e me mostraram um amor que eu jamais havia presenciado antes. Aquele foi um amor que excedeu de longe minhas expectativas”.
Abdul foi além em sua explicação: “Eu descobri que eram cristãos, eles não tentaram me evangelizar, mas me deram uma cópia da Bíblia. Foi então que eu comecei a pesquisar sobre esse Jesus que eles diziam ser o Filho de Deus Aquele quem eles diziam ter dado tal paz e alegria... Paz e alegria como eu nunca havia visto antes. Não foi muito depois disso que me voltei para Jesus e o aceitei como meu Salvador”. Os ex-muçulmanos são usados poderosamente por Deus para alcançar seus vizinhos com o amor de Deus.
Pontos de oração:
- Ore pelos ex-muçulmanos como Adilah e Abdul que se converteram do islamismo para seguir a Cristo. Ore para que eles tenham coragem para permanecer firmes diante da perseguição.
- Ore para que os ex-muçulmanos continuem sendo usados por Deus para guiar muitos mais muçulmanos a Cristo como seu Senhor e Salvador.
- Ore para que Deus continue dando sabedoria e proteção aos trabalhadores cristãos nos países dominados pelo islã e também para que eles procurem encorajar e fortalecer os crentes que estão sob intensa perseguição. Os ex-muçulmanos não pedem para que oremos para que os sofrimentos de ser cristão no mundo muçulmano sejam removidos, mas para que Deus conceda oportunidades para compartilharem o Evangelho. Apesar do levantamento do islamismo radical em alguns países, existem mais notícias de cristãos convertidos do islamismo do que jamais se ouviu.

Fonte: Missões Portas Abertas
Publicado no Boletim 564 de 11/Nov/2007


Viúva de Malatya - Índia - ora pela conversão dos assassinos de seu Marido

Dez anos atrás, a família muçulmana rígida de Necati Aydin tinha se oposto de forma violenta a decisão dele de se tornar um cristão.
Eles o seqüestraram quando souberam que ele ia se casar e ameaçaram matar o casal , caso ele não mudasse de idéia e voltasse ao islã.
“Eu tinha medo pela vida dele e tinha medo que ele renunciasse a Jesus", disse Semse. "Por isso eu falei a Deus que se Ele o levantasse, eu o daria, eu sacrificaria nosso matrimônio. Orei para que Deus mantivesse Necati para Ele, não para mim."
Necati Aydin ficou firme na fé em Cristo, e depois de escrever uma carta de adeus para a família, se casou com Semse em 1998.
“Agora, Deus o levou de volta, ela disse. "Ele é o que dá e leva. Assim como eu posso estar brava com Deus, que está cima de tudo?".
FACA NO PEITO
O processo de voltar a Malatya no início de setembro para fazer as malas e mudar de casa foi como "uma faca em meu coração", disse ela. "Foi tão doloroso quanto a morte dele, deixar para trás aquele capítulo da minha vida." "Sem Necati, sinto como se eu não tivesse mais uma casa. Não consigo sentir que essa é agora minha casa, porque ele não está aqui."
Mesmo assim, ela teve tempo, durante a visita, para chamar os vizinhos muçulmanos dela e testemunhar mais uma vez a eles do amor e perdão ela tinha achado em Cristo.
Ela presenteou cada um deles com um exemplar do Novo Testamento e uma cópia da carta do marido explicando à família o porquê de ter se tornado cristão.
“Esta foi uma das coisas mais duras que fiz na vida”, admitiu. "Exigiu de mim muita energia, porque foi muito doloroso, mas Jesus não me deixaria perder esta última oportunidade", disse ela.
FIRME EM CRISTO
Ela também venceu a tensão para visitar os parentes de outra vítima turca, levando conforto e compartilhando a esperança da mensagem de Cristo com eles.
Há momentos encorajadores, lembra, ela, como encontros com crentes cristãos em Malatya que se aproximaram pela fé e pelo testemunho dela e do marido, que havia sido o pastor deles.
Apesar da dor, Semse Aydin deu declarações públicas à mídia turca dois dias depois da morte do marido, declarando que ela perdoava os cinco culpados, que estão presos, confessaram o crime e aguardam pelo julgamento.
Na realidade, ela está orando ativamente para que pelo menos um deles se arrependa e venha para a fé de Cristo. "Esta é a última vingança, não é?", diz Semse Aydin.
”Não foi fácil dizer 'eu perdôo os assassinos'", contou ela. "Para ser honesta, meu coração está quebrado e sinto a minha vida quebrada. Eu realmente amei Necati. Ele era o amor de minha vida, meu amigo mais íntimo. Mas há alguém que eu amo mais, que é Jesus. Só por causa disto, posso agüentar tudo isto."

Fonte: Missão Portas Abertas
Publicado no Boletim 563 fde 04/Nov/2007


DA CASA DE CAFARNAUM PARA AS CASAS DE MANAUS:
AMOR, BENÇÃO E GRATIDÃO!

O Evangelho de Marcos (2:1-12) nos diz: Jesus cura um paralítico em Cafarnaum! Foi preciso que um GRUPO de AMIGOS destelhasse a CASA onde Jesus estava para que o paralítico pudesse estar com Ele e a graça fosse alcançada.
JESUS TAMBÉM CURA PARALÍTICOS EM MANAUS! Não foi preciso passar pelo telhado. As portas das CASAS estavam e estão abertas, e os seus moradores sedentos para nos receber.
Em 1998, uma paralítica (espiritualmente falando) em estado agudo, a minha cunhada Geny Barros, entrou na casa do Pr. Caio e Tia Lacy. Umas semanas depois ela foi para a casa do “Tio Marcão e Tia Irandê”, onde está o Grupo Familiar Amigos do Deus. Para lá também foram, Carolina, Aline, minhas sobrinhas, meus filhos Paulinha e Guto. Com resistência e com paralisia aguda, para lá também fui. Estávamos sofrendo com a prisão do meu irmão Jalon, com diagnóstico de tetraplégico. As grades não foram barreiras para que os o grupo familiar Amigos de Deus entrasse na prisão e levasse o Alimento da Vida, que já havia nos dado, e também para o Jalon, esposo da Geny. Quando acreditamos na única verdade: O Senhor Jesus como nosso Senhor e Salvador, fomos curados. Jalon e sua família hoje estão em Londrina-PR e a notícia é: JESUS TAMBÉM CURA PARALÍTICOS EM MARÍLIA/SP - Fabiano e Luciane (meus primos), e Jesus na sua infinita misericórdia não permitiu que a paralisia atingisse os pequeninos João Pedro e Julia Beatriz. Em LONDRINA Jesus achou a Ivoneti, que em seu testemunho na 1ª Igreja Presbiteriana de Londrina, onde congregam, diz:” Sou professora, nunca achei tempo para ler a Bíblia. Um dia disse para meu marido que me sentia morta, mas o encontro com Deus preencheu meu coração... Agora, me sinto como uma criança, alegre e coma vontade enorme de aprender... Já aposentada, voltei à Universidade porque Deus me chamou e quer que eu fale para os outros o que estou sentindo”.
O Senhor Jesus, fez e está fazendo coisas fantásticas em nossas vidas! Este é um breve testemunho. Neste momento quero encorajar a todos os irmãos que fazem parte dos Grupos Familiares: Se a jornada estiver pesada leiam em Josué 1:1-9. Amados, quero hoje declarar o nosso amor, que é pequeno diante do amor que habita em seus corações. Dizer que o egoísmo não está em vocês, pois compartilharam conosco as bençãos de Deus. Dizer que em Jesus somos imensamente gratos. Pedir que não desistam, pois foi o amor, a perseverança, a renúncia de cada um de vocês, como instrumentos do Senhor Jesus, e aqui, me permitam, quero mencionar o “Tio Marcão (Marcus Vinícius) e a Tia Dedê (Irandê)”, que nos possibilitaram, e nos permitiram declara - FOMOS PARALÍTICOS E EM JESUS FOMOS CURADOS. Dizer a toda Igreja Presbiteriana de Manaus: Que vocês são o Exército de Deus e não permitam que o inimigo atravesse as suas fileiras, pois existem centenas de paralíticos, inclusive na minha família, a espera do sorriso de Jesus que vi no rosto de cada um de vocês quando aqui cheguei. Obrigada aos Pastores e aos “Tios” da Escola Bíblica, que com muito amor cuidaram dos meus filhos. Que o Senhor Deus nos permita lavar os pés de cada um dos irmãos!

Com amor em Jesus, Ivete Ivo de Barros
Publicado no Boletim 557 de 23/Set/2007


BÍBLIA FALADA “...A FÉ VEM PELO OUVIR...”

No mês de Abril, deste ano, recebemos, por meio da Igreja Presbiteriana do Mississipi/EUA, juntamente com a Missão Rios do Mundo - ROW, uma ferramenta preciosa para o trabalho com pessoas que não sabem ler ou têm dificuldades na visão. A Bíblia no formato IPOD, no qual a palavra de Deus narrada é gravada em um chip de memória e no idioma do povo a que se destina. Um aparelho simples de ser usado e que, não necessita de energia convencional, pois é alimentado com a energia solar. Uma placa de capitação alimenta as baterias que podem funcionar por 14 horas ininterruptas. Com isso, a palavra de Deus vai se cumprindo e a volta de Jesus é evidenciada (Mt 24:14 ). Na referida viagem com a equipe do Mississipi, à região do rio Negro, fizemos a distribuição de cerca de 70 dessas Bíblias, presenciando a grande alegria dos que foram alcançados por esse equipamento precioso de evangelização. No mês de maio, deste ano, em mais uma viagem com equipes evangelísticas da igreja, voltamos as comunidades e constatamos os primeiros frutos na vida de pessoas que estão ouvindo a Bíblia falada. Na comunidade de São Tomé, no lago do Acajatuba, D. Nete, uma das pessoas beneficiada com a Bíblia, e que nos hospedou em sua casa, contou como estava alegre por conhecer a história de Abraão, e sua grande fé: “Irmão fiquei muito triste quando Abraão teve que matar seu filho, seu único filho. Pôxa, pra que aquilo se ele tinha esperado tanto? Mas irmão foi muito bom quando Abraão amarrou seu filho em cima da fogueira e já ia enfiar a faca nele, o anjo de Deus chegou bem na hora e disse: Pára Abraão, não precisa matar seu filho, agora sei que você teme a Deus!” Após fazer esse comentário D. Nete contou um testemunho de sua vida para uma pessoa que se encontrava no local, mostrando o poder de Deus e sua fidelidade. Enquanto permanecemos os dois dias na sua residência, podemos ouvir o som da bíblia nas madrugadas, coisa que não aconteceria se tivessem de lê-la. Na comunidade do Chita, também no rio Negro, apenas duas bíblia foram disponibilizadas para a comunidade, com isso é necessário fazer rodízio entre as famílias. Cada mês a equipe missionária muda a Bíblia para uma família diferente. Dona Naísa, moradora desta vila, mesmo com dificuldades na construção das frases, pode perfeitamente expressar sua alegria com o conhecimento que recebe por meio da Bíblia falada. Ela iniciou agradecendo o presente e relatando a força que sentia sempre que ouvia o som da Bíblia, ante os acontecimentos sofridos pelo seu filho Daniel (um acidente no futebol que o levou a perda de consciência e posteriores ataques neurais, constatados aqui em Manaus). Em tudo que ia relatando expressava o seu agradecimento pelo fato de seu filho estar salvo e já em casa. Ela sintetizou tudo que entendeu através da Bíblia falada em uma frase: Devemos primeiramente agradecer a Deus por TUDO, e confiar inteiramente no Seu poder e na sua providência (construção verbal minha. Ana Portugal). Dona Bidinha, moradora também da comunidade Chita, não cabia em si de tanta felicidade por ter ficado aqueles dias com a Bíblia falada. Descreveu fatos gratificantes como o de ter aprendido, um pouco a ler (algumas palavras) através da leitura e concomitante audição da Bíblia, relatou que pedia a sua neta que procurasse o livro escolhido e mostrasse a ela para que acompanhasse pela Bíblia escrita, que lhe foi dada pela nossa equipe, e assim, ia aprendendo novas palavras. Ela nos disse, ainda, que passava mais de cinco horas ouvindo em todos os lugares que ia, D. Bidinha levava a Bíblia falada e compartilhava com outros aquela boa palavra. Dona Odete, outra moradora da comunidade, ficou muito emocionada com a mensagem da Bíblia. Talvez, a primeira vez que ela apreendeu as mensagens do Novo Testamento por ter ouvido várias vezes, (inteligente da parte dela não?), com as repetições ela e as netas puderam relatar passagens das cartas de Paulo, não recordo precisamente de quais cartas. Em fim, definitivamente o Senhor nos entregou uma ferramenta poderosa para o nosso trabalho, cabe a nós pedirmos Sua orientação de como podemos maximizar tal Bênção para a Glória de Seu nome entre essas pessoas, que tem limitações para ler. D.Bidinha concluiu falando: “Que para todos os lugares leva a Palavra e ouvia com muita atenção. Entendeu que as pessoas faziam coisas erradas por não conhecer a vontade de Deus”. No final da nossa viagem daquele mês, ela devolveu a Bíblia para equipe, demonstrou profunda tristeza por não poder mais ouvir aquelas lindas palavras. Porém tínhamos que cumprir o combinado. Com isso, muitos serão abençoados com a mensagem do evangelho na Bíblia falada.


Eliomar Santos - Missões Ribeirinhas
Publicado no Boletim 556 de 16/Set/2007


Salvo por bons samaritanos

Musa Barau*, 30 anos, nasceu numa família muçulmana e, conseqüentemente, era seguidor do islamismo. Entretanto, durante o mês de fevereiro, ele aceitou a Cristo como seu Senhor e Salvador pessoal. A conversão de Musa não foi em segredo, porque ele corajosamente compartilhou a Verdade com sua família, mas eles voltaram às costas para Musa e o consideraram uma complicação para todos.
A notícia da conversão de Musa e do estorvo que isso causou, encorajou os familiares a tentar eliminá-lo da família, não importando quão diabólico isso parecesse. Depois de muito pedir e suplicar, a família de Musa o prendeu em casa, enquanto eles foram dar a notícia a outros fundamentalistas de sua conversão e de sua recusa em voltar ao islamismo.
A comunidade islâmica enfurecida tocou fogo no quarto onde Musa estava preso, mas, pela graça de Deus, ele conseguiu escapar do quarto em chamas e pulou o muro. A esposa de Musa e os filhos foram tirados dele enquanto ele corria para se refugiar no mato. Sozinho, Musa passou três dias escondido até encontrar um vilarejo cristão. Ele aproximou-se dos presbíteros de uma igreja que havia no vilarejo em busca de ajuda. Contou-lhes sua história e eles o matricularam num programa de discipulado, apresentado por Portas Abertas.
Numa tarde de março, após uma reunião de oração no meio da semana, Musa estava indo de volta para sua nova residência na comunidade cristã quando foi subitamente subjugado e seqüestrado por fundamentalistas que sabiam de sua conversão ao cristianismo. Os seqüestradores de Musa o forçaram a entrar num carro e o levaram a uma área deserta, ao longo da estrada principal. Ao chegarem, eles o arrancaram do veículo, agrediram-no, injetaram veneno nele e o abandonaram à morte.
Musa, inconsciente, jogado à beira da estrada, chamou a atenção dos que passavam. Algumas pessoas paravam para ver, outras vasculhavam seus bolsos à procura de uma indicação de sua identidade. De algum modo, alguém o reconheceu e o apontou como sendo membro da igreja local. O grupo de “bons samaritanos” o levou ao hospital, onde ele deu entrada imediatamente na UTI. Depois de uma semana de cuidados intensivos e tratamento médico, ele teve alta do hospital.
A sobrevivência de Musa foi um verdadeiro milagre! Sua saúde melhorou muito desde o ataque, e ele continua com seu curso de discipulado. Glória a Deus!

Missão Portas Abertas
Publicado no Boletim 555 de 09/Set/200


MISSÃO ANGOLA JULHO / 2008 - Do coração de Deus aos nossos corações

Nasceu no coração de Deus. Em dezembro de 2006 um pastor presbiteriano de Angola, veio ao Brasil, especificamente na Igreja Presbiteriana de Manaus.
Compartilhou as dificuldades da igreja angolana, da falta de professores e a necessidade de melhorar a forma de ensino da palavra de Deus.
O que ficou claro e latente em nossos corações foi o pedido de socorro de um povo que sofreu 30 anos de guerra civil e que precisa do povo de Deus para ser reconstruído. Apesar da Igreja Presbiteriana ser parceira da igreja angolana a mais de 10 anos, sentimos a necessidade de fazer algo mais.
Em janeiro de 2007 estive no Treinamento de Líderes da Mocidade para Cristo-MPC em Belo Horizonte-MG, doando um pouco de minhas férias para obter aprendizado, treinamento com objetivo de aplicar na IPM.
O treinamento foi bem proveitoso e abençoado, mas sentia que Deus queria muito mais! No culto de Missões, onde Deus operou maravilhas, um médico carioca chamado Dr. Denoel, recém chegado de Lubango/Angola, foi palestrante da noite. Não sabíamos o que iria acontecer, mas ele foi falando, mostrando a realidade daquela Nação, a pobreza, a miséria e começamos a perceber a falta de amor em nossos corações, pois somos egoístas por natureza.
Deus foi quebrantando nossos corações, houve um grande mover de Deus naquele lugar e Deus nos mostrou que realmente não estávamos fazendo nada pelo seu Reino e sua obra. O que fazemos é pouco diante de tamanha necessidade.
Chorei tanto naquele dia, senti vergonha. Tanta coisa a ser feita, tanta pobreza, miséria, doenças e muitos de nós vivendo a vida como se não fizéssemos parte dessa realidade. Como se a África não merecesse atenção. Isso ficou marcado no meu coração!
O treinamento da MPC acabou, eu já tinha esquecido Angola, voltei para Manaus, para IPM e logo retornei o trabalho com meu grupo familiar de jovens, do qual sou líder. Até então, eu pensei que Deus tinha esquecido daquele pastor da Igreja Presbiteriana de Angola, mas Deus não esquece! Ele trabalha em silêncio. Em março deste ano, fui ao Retirão de carnaval da IPM, cujo tema foi “Avivamento”. Foi uma benção!
Numa tarde, em conversa com o Presbítero Paulo César sobre liderança, de repente Deus despertou algo que não pude dizer não, e eu pensei que era impossível. Deus falou-me para doar um mês de minhas férias em Missões em Angola. Fiquei feliz, não fugi da responsabilidade, sonhei! Não poderíamos deixar de dar uma resposta a Angola.
Alguns jovens da IPM começaram a orar após a vinda do pastor angolano e Deus começou a trabalhar, chamando um por um e colocando o desejo de servir àquela nação. O sonho pode ser realizado pelo Deus do impossível.
Queríamos também dar uma resposta ao pastor angolano. Deus nos deu o desafio de levar jovens profissionais da IPM: Médicos, dentistas, psicólogos, pedagogos, evangelistas e líderes para realizar a obra do Senhor durante um mês. A viagem está prevista para Julho de 2008 e o nosso maior desafio sem sombra de dúvidas será o financeiro.
Precisaremos levantar valores para cobrir custos de viagem, hospedagem e levantar donativos para suprir a necessidade dos irmãos angolanos.
Missões se faz com coração, inteligência e finanças. Há pessoas na equipe que não tem condições de financiar sua viagem, mas elas têm o principal: "O chamado de Deus!"
Já estamos trabalhando para arrecadar recursos, mas creio que se não tivermos ajuda, não será possível cumprir essa Missão, pois o custo é muito alto.
Creio que Deus é um Deus tremendo, dono do ouro e da prata e acima de tudo, é um Deus provedor!
Se você puder nos ajudar de qualquer forma, nós agradecemos, e desejamos que o Senhor lhe devolva 100 vezes mais, porque é melhor dar do que receber.
Nós queremos apenas dizer : "EIS ME AQUI SENHOR, ENVIA-ME A MIM.”
Você pode ir conosco, afinal Missões é um árduo trabalho em equipe!
“Depois disto, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem irá por nós? Disse eu: EIS ME AQUI SENHOR, ENVIA-ME A MIM." Isaias 6:8

Geyzon Reis, servo do Senhor Jesus.
“Para que o mal triunfe, basta que os bons não façam nada"

Você pode ofertar o quanto Deus colocar no seu coração. R$ 5,00, R$ 10,00, R$ 20,00, R$ 50,00, R$ 100,00 ou mais. Seja um missionário conosco, doe um pouco de você a Angola. Deposite uma oferta de Amor.
GEYZON / MISSÃO ANGOLA 2008 BANCO DO BRASIL
Cód 01 AGÊNCIA 1525-3 C/POUPANÇA 10.026.572-3
Obs: Essa conta é administrada por três membros da equipe da Missão Angola 2008-IPM.
Geyzon Reis - (092) 3625-2484/ (092) 8148-6037 geyzonreis@yahoo.com.br

Publicado no Boletim 554 de 02/Set/2007


Missionários e pastores são condendos à reeducação

A Associação de Ajuda à China recebeu a informação de que dois líderes de igrejas foram condenados a um ano de detenção em um campo de reeducação e trabalho no último dia 29 de junho, na província de Shandong. Eles só ganharão a liberdade no dia 14 de julho de 2008.
Documento emitido pelo Comitê de Reeducação Através do Trabalho (Lao Jiao) do governo de Heze dizia que os acusados, o pastor Zhang Geming e o pastor Sol Qingwen , obstruíram a lei ao realizarem um "culto satânico".
Fontes da igreja doméstica contaram que os dois pastores são missionários evangélicos enviados de Henan a Shandong. Eles foram presos no dia 15 de junho junto de outros quatro pastores enquanto realizavam um culto particular. Os pastores foram soltos no dia 1º de julho, depois de serem forçados a pagarem uma fiança de R$ 2.500,00.

Outro caso

Enquanto isso, na província de Shanxi, dois líderes da igreja local foram violentamente detidos sob a mesma acusação e em breve também devem ser condenados à reeducação pelo trabalho. São eles: o pastor Zhou Jieming e o pastor Niu Wenbin.
Segundo as autoridades locais, eles também "promoveram um culto satânico".
No dia 9 de junho, dois ministros foram presos ao lado de outros 12 líderes de igreja enquanto distribuíam Bíblias em uma feira no município de Jiaocheng, província de Shanxi. Quatro deles foram soltos no mesmo dia. De acordo com fontes seguras, Ms. Gao Qiuxiang , de 54 anos, esposa do pastor Zhang Tuanyuan (que está atualmente escondido), da igreja de Jiaocheng, foi detida a caminho do escritório do Partido Comunista, junto de outras seis líderes cristãs.
Essas mulheres saíam em busca de um documento oficial que explicasse os motivos para a perseguição aos maridos delas. De acordo com fontes locais, cinco mulheres foram espancadas e sofreram abusos pelos oficiais locais e ainda tiveram de enfrentar um interrogatório.

Fonte: Missão Portas Abertas
Publicado no Boletim 552 de 19/Ago/2007


FAMILIA COSTA: NOSSAS NOTICIAS

Queridos, aqui vai um breve informe. Se você deseja mais detalhes, por favor, escreva-nos.
1- Saúde de Paulo: ele segue em processo de recuperação da depressão. Já saiu do nível 3 (o mais perigoso ) para o nível 1 (suave). A graça do Senhor nos tem realmente ajudado nesse processo lento, difícil e às vezes cansativo. O rompimento do menisco e ligamento do joelho está quase todo restaurado. Já esta fazendo caminhadas mais fortes e correndo suavemente. Este tem sido pra nós que batizamos de “tempo da águia”. Ela vive cerca de 70 anos. Aos 40 suas garras e bico perdem poder de agarrar e comer a presa, pois crescem demasiado. Suas asas ficam grandes, pesadas e mais apegadas ao peito. Perde poder de vôo. Tem que tomar uma decisão: entregar-se e morrer de fome ou, em um último esforço, voar a um alto monte; submeter-se a um processo de dor, paciência e espera que demora cerca de 6 meses: quebrar o bico em uma rocha...esperar ate um sair um novo. Então, quebrar as garras... outra espera por novas garras. Chega a hora de quebrar as penas das asas. Finalmente, cerca de 6 meses depois, a águia esta pronta para o seu “vôo mágico”, onde a vida renasce e , então, vive por mais 30 anos. Estamos seguros de que o Senhor está livrando-nos de “garras, bicos e asas” que estavam pesadas demais e sem efetividade, para levar-nos a renovar tudo isso para um novo vôo na vida (como pessoas e família) e no ministério. Ele está mudando antigas maneiras de pensar, agir e interagir conosco mesmos, com o próprio Senhor e com o ministério que nos tem confiado, para novos vôos. Assim que: “os que esperam no Senhor renovarão as suas forças como as das águias..” Is. 40:31. Temos recebido conselhos de vários amigos, sugerindo que não falemos do tema da depressão, devido ao risco de sermos mal-interpretados e surjam comentários negativos sobre nós e a nossa integridade em Cristo, o que, de fato, já ocorreu. Embora agradecidos por suas ótimas intenções de proteger-nos, insistimos que vamos seguir falando do tema. Entendemos ser mais que hora da igreja Evangélica em América Latina enfrentar-se a essa realidade, de modo mais objetivo e prático, a fim de não perdermos vários bons obreiros por falta de conhecimento ou preconceito. Eu mesmo, sem que as pessoas o saibam, tenho ajudado a pastores e líderes latinos com problemas de depressão. E vi casos em que tinham medo de falar, admitir a doença, ou mesmo de buscar ajuda medica por temor da reação dos outros. Sem querer ofender a consciência de ninguém, penso que é tempo de encararmos a depressão com a sobriedade que Pedro nos aconselha a termos na vida(“sede sóbrios”) e com a fé de quem sabe quem é a nossa Rocha, Refugio,Conselheiro, Sabedoria e o Deus que Sara.
2- Omaira: está melhor; mais descansada. A saúde da sua mãe tem estabilizado e já não é necessário levá-la tanto ao medico, ou mesmo interná-la. Com a minha evolução ela também se sente melhor. Assim, que tem tido mais tempo para ela mesma. Fez um check-up medico e esta bem de saúde.
3- Pablito e Jeremy : estão muito bem. Já falam espanhol fluente para a idade. Terminaram suas aulas semana passada. Sigo lutando para que falem inglês comigo, a fim de que não o percam. Estão amando os priminhos, tios, tias e a vovó venezuelana.. Amaram a vinda da vovó do Brasil (Raimundinha). Foi muito bom a vinda de mamãe.
Pedidos de Oração: 1. Por completa cura da saúde de Paulo (física e emocional); 2. Por cobertura espiritual, discernimento e sabedoria a nós e aos médicos que nos acompanham; 3. Por provisão financeira para este tempo especial e um milagre de 1500 dólares para viajarmos a Colômbia em Agosto, para renovação do visto de Paulo.

Com gratidão, Paulo, Omaira, Jeremy e Paulinho Costa
Publicado no Boletim 551 de 12/Out/2007


UM SUSTO, UM LIVRAMENTO, UMA MISSÃO

Foram meses de preparação: orações, reuniões e planos etc. Era chegado a dia marcado TUDO ESTAVA PRONTO - 12 de julho. O local escolhido para a saída foi em frente ao “Espaço Pedras Vivas”. Cheguei e vários membros já estavam eufóricos para nossa viagem missionária. Malas guardadas no interior do ônibus, tudo acertado, tiramos a foto oficial da saída, demos nossas mãos e fiz uma oração pedindo a bênção de Deus.
Logo no início da oração comecei a sentir falta de ar, a voz ficou pausada, requereu um pouco mais de esforço para verbalizar as frases, mas consegui concluir a oração. Depois disso nos despedimos e adentrei ao ônibus e ficamos aguardando a chegada da Quézia (filha do Pr. José Nery), nesse ínterim uma dor terrível começou a explodir dentro do meu peito, não quis alarmar ninguém... Logo pensei - o que fazer? E a viagem à Venezuela que foi planejada em oração e cuidado? E a dor ia se instalando e aumentava a cada segundo!
Decidi chamar o Honofre e amenizar, dizendo-lhe que necessitava ir a Unimed, pois estava com pico de pressão alta. Tomei o carro junto com o Jorge Haddad e solicitei ao ônibus seguir ao Pronto Socorro da Rua Belém, imaginando ser medicado e seguir a viagem.
Ao chegar aplicaram-me uma injeção de morfina e outras drogas para amenizar meu sofrimento. Ao ver a expressão dos médicos e enfermeiras, logo entendi que não era da vontade de Deus seguir para a Venezuela desta vez...
Chamei Rosário para junto de mim e passei ao Honofre todas as orientações, telefones, coordenadas, valores, contatos etc e percebi o livramento de Deus.
Imagine se o infarto ocorresse no meio da BR 174 ou nas estradas da Venezuela?
EM TUDO DAI GRAÇAS (I Ts 5:18). Geralmente nós fazemos planos, mas a resposta certa vem dos lábios do Senhor (Pv 16:1).
O Senhor nosso Deus ao invés de me enviar a Venezuela resolveu me dar umas férias “forçadas”, me propôs um retiro aqui na UTI Coronária da Unimed para ministrar na vida daqueles que estão por aqui sem esperança, tanto pacientes, como enfermeiros.
O Senhor é bom e sua misericórdia dura para sempre.
Desejo daqui do meu leito, agradecer do fundo do coração enfartado a todos aqueles que oraram e continuam a orar.
Obrigado pelos bilhetinhos motivadores, pelos telefonemas de solidariedade, pelos e-mails enviados (ainda não lidos).
Em nome da minha família, meu obrigado a todos os irmãos da IPM e que Deus os abençoe ricamente.
Um abraço caloroso do servo e soldado ferido, mas que logo voltará às fileiras do front pelejando na batalha do Senhor.

Pr. Djard Cadais de Moraes - Romanos 8:28, 31-35,39
Publicado no Boletim 549 de 29/Jul/2007


Notícias de Santa Isabel - Alto Rio Negro

Santa Isabel, 26 de junho.

Queridos amados irmãos,

Para mim é um motivo de muita alegria estar escrevendo esta carta para compartilhar um pouco sobre as benções que o Senhor tem derramado sobre nós e com a equipe Amanajé.
Com a chegada dos novos missionários nós só podemos glorificar a Deus por te-los mandado para juntar força na evangelização indígena. Temos a Lia que trabalha com o povo Nadeb do rio Téa; Gabriel, Cris e Carol trabalham com o povo Yanomami. Eu e minha esposa Cleide temos cooperado com eles neste início. Temos viajado com eles para mostrar as comunidades e os povos da região. Peço orações por cada um destes. Vamos orar também por Ronaldo e Rossana que são nossos líderes e conselheiros no ministério.
Amados, com todos esses trabalhos eu e minha família temos um ministério primário que é a plantação da primeira Igreja indígena de Santa Isabel do Rio Negro. É um desafio grande, temos investido em visitas num bairro indígena chamado Dom Walter. Nós oramos quase um ano por um terreno e depois de muitas lutas Deus nos deu um através da Prefeitura. O terreno fica no mesmo bairro que estamos trabalhando. Isso é motivo de glorificarmos a Deus pois lá o catolicismo é muito forte, mas para a honra e glória de Deus temos tido vitória.
Deus tem aberto a porta de muitos lares e corações. Estamos fazendo culto todo domingo de manhã no centro comunitário do bairro. Amados, é uma vitória muito grande. Vamos orar juntos pela construção da igreja pois precisamos de um lugar para reunir o pessoal. Ela vai ser bem cultural, coberta de palha e cercada de tábua da região. Também peço oração pelo barco semeador que está sendo construído em Novo Airão, por iniciativa da minha igreja (Presbiteriana de Novo Airão) e para servir ao campo aqui em Santa Isabel. É uma oferta da Igreja que tem muitos carpinteiros navais e cada um está ajudando. A chegada deste vai ser uma benção para a evangelização pois há 43 aldeias indígenas ao nosso redor precisando de Jesus. Vamos orar.
A paz do Senhor esteja com vocês.

Um abraço carinhoso da família missionária,
Jaimeson, Cleide, Estefany, Ana liça e Joás.

Rua Padauiri, n. 95
São Judas Tadeu
Cep: 69740-000 Santa Isabel do Rio Negro, AM.
jaimeson.rodrigues@yahoo.com.br

Publicado no Boletim 548 de 22/Jul/2007


VIVA A SIMPLICIDADE

Em vários encontros pelo mundo desde 1974 ocorreram encontros sobre evangelização que trataram sobre temas pertinentes a pobreza, injustiça, fome, meio ambiente, desenvolvimento, dentre outros.
Em 1974 em Lausanne tais questões suscitaram o seguinte texto que transcrevo e que deve ser examinado cuidadosamente “Todos nós estamos chocados com a pobreza de milhões de pessoas e abalados pelas injustiças que a provocam. Nós, que vivemos em sociedades afluentes, aceitamos como obrigação desenvolver um estilo de vida simples a fim de contribuirmos mais generosamente tanto para a assistência social como para a evangelização”.
Esta colocação inicial me faz também refletir e considerar como estamos atuando junto as comunidades ribeirinhas. A Palavra de Deus e a reflexão de ações à luz dela nos dirige ao evangelho integral. O evangelho integral nos mostra que Deus através de seu Filho e deste através dos crentes legitima um espaço físico e espiritual para o uso de inúmeras ferramentas profissionais para acudir nossos amados ribeirinhos, proclamando-lhes o Deus Criador, Provedor, Salvador , Senhor de todos e de Tudo.
Temos vivenciado isto em cada viagem, em cada comunidade, nas mais variadas formas. Neste mês de junho de 2007 recebemos apoio financeiro para apoiar a criação de abelhas sem ferrão e o plantio de árvores agroflorestais no lago do Acajatuba.
De outro país e desta Igreja saiu este apoio, por que queremos ver cumpridos o mandado que temos recebido do Nosso Senhor e que de variadas formas e pessoas nos tem chegado. “Adoramos a Deus como o Criador de todas as coisas e celebramos a bondade de sua criação. Em sua generosidade, ele nos tem dado tudo para desfrutarmos, e recebemos tudo de suas mãos com humildade e ação de graças (I Tm 4:4).

Adelaide Mota, missionária biocupacional
Publicado no Boletim 547 de 15/jul/2007


“Não temas: DORAVANTE SERÁS PESCADOR DE HOMENS.” Lc.5.10b

Nos dias 7 a 10/06 estivemos em retiro da Sociedade Auxiliadora Feminina no Acampamento Monte Sião onde vivemos momentos especiais de comunhão e edificação. Um dos mais tocantes, foi a presença da preletora DELZA CHAGAS, que foi bênção em nossas vidas. Um vaso especial vindo de tão longe e usado pelo Senhor Deus para nos transmitir novas estratégias de evangelização. Com o tema: “E SOB A TUA PALAVRA LANÇAREI AS REDES”.
Como fruto desta tarde de evangelismo, tivemos o Sr. Emanuel que ouviu atentamente a pregação do evangelho através da equipe da irmã Delza Chagas, e ao final foi convidado para ir ao culto e ao jantar que aconteceria logo mais a noite. A rede foi lançada e para nossa surpresa lá estava o seu Emanuel em comunhão com os irmãos Hermes e Eli. Em prantos ele orou e entregou sua vida ao Senhor Deus e depois brincando, o seu Emanuel perguntou-lhes: Vocês sabem o que significa o meu nome? E o mesmo respondeu: DEUS CONOSCO. ALELUIA !
E disse Jesus: “Sigam me, e eu os farei pescadores de homens”. Mateus 4:19.
Na manhã da sexta feira tivemos mais um banquete espiritual com o Pr. Alcedir Sentalin, onde pudemos aprender sobre evangelismo em um tempo teórico-prático. Dividimo-nos em dois grupos: um de intercessão e o outro deslocou-se até a comunidade Vila de Lindóia para evangelizar de casa em casa. Como afirmou o Pr. Alcedir Sentalin: “VIVENDO A EVANGELIZAÇÃO E MISSÕES COM COMPAIXÃO, DISPOSIÇÃO E AÇÃO.”
Experimentamos diferentes situações ao ouvir as pessoas e suas necessidades. Foi algo muito bom por um lado, e por outro, triste, porque vimos muitas pessoas dizerem não ter certeza da salvação e nem sabiam para onde iriam se morressem naquele momento. Percebemos também que muitos tinham conhecimento da palavra do Senhor, mas haviam se afastado d'Ele. Esta realidade moveu os nossos corações, mais ainda, para falarmos do amor de Jesus sem perda de tempo. Em uma outra equipe foi apresentado o plano de salvação a uma jovem de 16 anos, grávida de 5 meses. Observamos que seus olhos brilhavam e a emoção tomou conta ao ponto dela pedir oração para que Jesus entrasse em seu coração. Naquele momento ela foi aceita por Jesus.
Graças a Deus muitas vidas foram alcançadas e outras se reconciliaram com o Senhor Jesus.
Falar de Jesus é um mandamento a ser cumprido independente de classes ou raças. Estamos vivendo um tempo de fantástica operação do Senhor Deus na humanidade. É tempo de colheita!
Vamos irmãos levar essa luz ao mundo inteiro!
Vamos irmãos pregar mui confiados no Cordeiro que nos redimiu na CRUZ!

Irmã Elza Santos

Publicado no Boletim 544 de 24/Jun/2007


TEMPO DE RENOVAÇÃO

Todos sabem que o nome “Pedras Vivas” foi extraído do texto bíblico de I Pe 2.4-5 que diz:

“Chegando-vos para Ele, a pedra que vive, rejeitada, sim, pelos homens, mas para com Deus, eleita e preciosa, também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo”.

O Projeto Pedras Vivas Edificando um santuário para a glória de Deus nasceu dentro do contexto de proporcionar à Igreja Presbiteriana de Manaus nossa querida IPM, novos horizontes e o grande desafio, de proclamar o evangelho de JESUS, para resgatar vidas das trevas para o reino de Deus.

Pedras Vivas é o que somos, por que estamos ligados à Pedra que Vive Cristo Jesus, e, portanto, por intermédio dEle, devemos estar prontos a oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus.

Na verdade, desde o lançamento do Projeto o povo presbiteriano da IPM vem oferecendo, com alegria, diga-se, sua parcela de sacrifício para a compra do prédio localizado na Av. Pedro Teixeira, onde hoje se encontra o Espaço Pedras Vivas.

A compra deste imóvel e a necessidade de honrarmos os compromissos financeiros assumidos contratualmente, que ainda perdurarão pelos próximos 3 (três) anos, não nos deixam outra alternativa senão o de fortalecer os laços que nos une como igreja, a conclamarmos os queridos e amados irmãos a continuarem participando na consolidação deste projeto.

Para os irmãos que já contribuem mensalmente, através dos envelopes, com ofertas ao projeto, lembramos que o compromisso de um ano assumido em maio de 2006, encerrou-se naquele mês. Lembramos que o citado compromisso pode e deve ser renovado, por mais um período de um ano, para que possamos continuar honrando as parcelas devidas aos nossos credores. Saiba que a sua fiel contribuição, ao longo dos meses tem sido de fundamental importância para a igreja pagar as citadas parcelas ao BASA e ao proprietário (MAP) que, somadas, chegam a R$ 90.000,00 (noventa mil reais), por mês.

Importante: lembramos aos irmãos que, se por algum motivo, não estão conseguindo entregar mensalmente os valores assumidos, que não desistam em contribuir. Perseverem. Se for o caso, não há nenhum problema em modificarem para menor, o valor anteriormente indicado como oferta. Por exemplo, se o compromisso primeiro foi de R$ 300,00 (trezentos reais), pode-se perfeitamente renovar por um valor menor tipo: R$ 200,00, R$ 100,00 ou outro valor compatível com a renda do irmão. E aqueles irmãos que desejarem migrar para um valor maior do que vem contribuindo, faça-o conforme Deus colocar em seu coração. O importante é que todos participem deste grande movimento do povo de Deus.

Aos irmãos que contribuem através de carnês ou boletos bancários, fiquem atentos ao momento da renovação dos mesmos que devem ocorrer provavelmente, a partir dos meses de junho a agosto, próximos. A fidelidade no pagamento das ofertas é a certeza de que a igreja estará também pagando seus compromissos dentro do prazo ou mesmo antecipadamente, significando menor custo para a IPM.

Finalmente, aos que, por algum motivo, ainda não contribuem com o Projeto Pedras Vivas, está aberta a oportunidade. Não seja somente testemunha, mas um construtor ativo deste vitorioso projeto. Participe. Ore. Contribua, invista neste sonho e seja grandemente abençoado por Deus.

A Paz de Cristo.

Comissão Pedras Vivas

Publicado no Boletim 543 de 17/jun/2007


VISITA DE ENCORAJAMENTO

Um obreiro da Missão Portas Abertas visitou recentemente a esposa e as filhas de um pastor eritreu aprisionado. Ele voltou com um relatório comovente, pedindo que Portas Abertas enviasse a essa família cartas de encorajamento. Hadas* e seu marido têm três filhas: Azeb* (13 anos), Sada* (11 anos) e Miniya* (9 anos).
Desde maio de 2002, qualquer pessoa flagrada em um culto fora das instituições religiosas aprovadas pelo governo - tanto em templos como em casas - é presa, torturada e extremamente pressionada a negar sua fé. Leia abaixo o relato do nosso irmão.

"Em um táxi, esperávamos na esquina de sua rua. Não sabíamos exatamente onde ficava sua casa, então concordamos em esperar que ela viesse ao nosso encontro. Eu estava para conhecer uma mulher que deveria se preocupar pela manhã se seu marido havia sobrevivido mais uma noite aos brutais guardas penitenciários. Nos últimos dois anos, Hadas enfrentou incertezas, certamente causadas pela prisão de seu marido. Eu não sabia o que esperar dessa mulher, que possivelmente poderia me ensinar muitas coisas. Tive que rever meus conceitos quando uma mulher bem vestida, com seus 30 e poucos anos, se aproximou de nós. Ela nos cumprimentou calorosamente e logo nos dirigiu para sua casa. Assim que me sentei, as garotas entraram e nos cumprimentaram com um inglês fluente. Elas mal podiam esperar para me mostrar um filme de seu pai ministrando em uma igreja na Eritréia. O marido de Hadas foi preso exatamente há três anos (em maio de 2004), não muito tempo depois de o vídeo ser feito. Ele é uma vítima das restrições do governo às igrejas evangélicas não registradas. À medida que Hadas falava sobre seu marido e os desafios que ela está enfrentando, pude ver que Deus, em sua providência, possibilitou tudo para que eu pudesse estar lá, naquele exato momento, com ela e suas filhas. Isso provou que nosso Pai não havia se esquecido dela. Estar lá, desejoso de escutar a história dela, significou que há um Deus que é fiel às suas promessas e que está levantando pessoas que possam ajudar Hadas a carregar seu fardo. Não podemos tirar seu marido da prisão por conta própria, mas podemos falar com Aquele que vê e sabe todas as coisas, Aquele que entende a situação de seu marido. Não podemos estalar nossos dedos e acabar com seu sofrimento, mas podemos gastar um tempo para a visitar e ouvi-la com cuidado. Custa pouco para fazer a diferença. Hadas trabalha como cabeleireira. Embora ela tenha sido abençoada com uma fonte de renda, obter sustento financeiro para sua família é uma luta constante. Apesar dos desafios, Hadas lembra-se da provisão milagrosa do Senhor: ela vive de graça em uma casa disponibilizada por um não cristão, e a Portas Abertas assumiu as mensalidades escolares de suas filhas. Além das pressões financeiras, Hadas também se sente esgotada em relação aos cuidados emocionais de suas filhas. "Fiquei chocada quando soube a primeira vez sobre a prisão do meu marido. O pensamento de que poderíamos passar anos sem nos ver foi difícil demais para mim. Por um longo tempo, não contei às minhas filhas que o pai delas estava na prisão, mas há um ano eu decidi lhes contar tudo. Elas vêem as famílias dos amigos na escola, todas completas, e se sentem tristes. Quando nos reunimos para orar, elas sempre pedem por seu pai. Elas oram: "Deus, ajude nosso pai a voltar para casa". Como todos nós, há momentos em que Hadas está firme em sua fé e sente que vai vencer a batalha em sua mente. Mas, naturalmente, há vezes também em que ela se sente esmagada pelos desafios e se rebela contra sua situação. "Às vezes não dou conta das coisas. Então choro na presença de Deus. Peço aos amigos e parentes para orarem por mim, para sair dessa situação. Então Deus me lembra de suas promessas e eu sou encorajada." No começo, Hadas recebia notícias mensais sobre seu marido de uma fonte secreta. À medida que a pressão do governo continuou, as notícias ficaram menos regulares. Há mais de três meses que ela soube alguma coisa sobre ele.

"Se eu pudesse conversar com meu marido agora, eu lhe lembraria que Cristo está voltando e que ele precisa pôr sua confiança nele. Eu lhe diria que Deus tem estendido sua mão às meninas e a mim. Eu o lembraria de confiar em Deus, porque Ele é o único que nos socorre. Deus é fiel. Ele vai recompensar os que sofrem por causa de sua fé. Preparando-me para sair, orei com Hadas e com as meninas. Pedimos ao Senhor para continuar a encorajá-las, a cuidar delas e a fortalecê-las. Pedimos que ela experimente a paz de Deus. Oramos em favor do marido de Hadas na prisão com mais de dois mil outros cristãos. Também pedimos sua intervenção na Eritréia. Não parece muito orar por Hadas e lhes escrever cartas de encorajamento, mas é o mínimo que podemos fazer. E o melhor que podemos fazer.”

* Os nomes reais foram alterados por motivos de segurança
Tradução: Daila Fanny - Missão Portas Abertas
Publicado no Boletim 542 de 10/jun/2007


NOTÍCIAS DE BELFAST

Aqui na igreja não é diferente, já estamos avaliando as vitórias e erros, e nos preparando para um novo ano de trabalho visando consolidar o que já alcançamos e avançar para novas conquistas no Senhor. A igreja está bem mais alegre, com muitos jovens sendo ensinados e convivendo como família. Tivemos algumas conversões de adultos estes dias, o que nos alegrou muito. Nove pessoas foram batizadas em outubro passado, mais cinco serão batizados antes das férias de verão. Hoje temos um grupo de aproximadamente 12 adolescentes entre 12 a 14 anos, e de uns 20, acima desta idade. Quando chegamos em Belfast foi desanimador, quase ninguém acreditava que os adolescentes pudessem escolher ficar na igreja, como hoje estão fazendo! Graças a Deus por isso!
A presença de alguns jovens de Manaus aqui conosco foi muito positiva. Desde a nossa chegada em 09 de abril de 2002, já tivemos aqui Lígia e Helen, Paula (por um ano), o Júnior (irmão da Paula), Jéssika Praia, Marielle Sentalin, Alexandre, Heyde, Gigui, e a família do João Marcos, e por ultimo a Ruth da Betel (Maués). No momento, apenas o João Vitor ( sobrinho da Mara e João), e Ruth estão conosco. Posso dizer que fomos muito abençoados por estes irmãos, eles foram muito importantes como catalisadores e motivadores. Hoje nossos jovens já se sentem mais à vontade para expressar a fé e anunciar o Evangelho aos amigos e à família. Creio que a semente foi plantada com sucesso, e o DNA é muito bom também.
No contexto europeu, meu coração está jubiloso! Temos sentido que algo está por acontecer de forma mais visível também. Tivemos uma conferência de amigos aqui em Belfast, uma reunião de igrejas que tenho trabalhado nestes cinco anos. O propósito foi reunir num mesmo lugar os membros, especialmente jovens, uma vez que os líderes já se relacionam e confiam uns nos outros. Tivemos gente de Portugal (Lisboa e Leiria), Espanha(Madrid), Alemanha (Flensburg), Inglaterra (Orpington, Bolton e Devon), e três igreja irmãs da Irlanda do Norte( a nossa e duas de Carrikfergus).
Muitos jovens foram à frente oferecendo suas vidas ao serviço do Reino de Deus. Em breve começaremos a levá-los em viagens missionárias no continente.
O meu sonho é ver estes irmãos conectados e fazendo missões juntos, o que já está ocorrendo em pequena escala. O Flávio e eu temos conversado sobre a possibilidade de plantar igrejas no continente com o apoio desta comunidade de irmãos, quando chegar em Manaus lhe darei melhores detalhes.

Pr. Sérgio Horta
Publicado no Boletim 541 de 03/Jun:2007


URIM E TUMIM
Extraído do Jornal Brasil Presbiteriano

Pergunta: “O que são 'Urim e Tumim'? São úteis, são necessários atualmente?”
Resposta:
1. Significam “Luz e perfeição”
2. Na Antiga Dispensação, eram objetos afixados no “peitoral do juízo” (Ex. 28.30; NVI: “peitoral das decisões”). Ajudavam o sacerdote a decidir questões difíceis. Por meio deles se consultava a vontade de Deus sobre questões judiciais e sobre causas de interesse público. As questões eram apresentadas em termos simples, com respostas simples.
3. Há um certo paralelo do Urim e do Tumim com o ato de lançar sortes recurso mais amplo, do povo, não restrito aos sacerdotes (ver por exemplo, Pv 16.33; 18.18; Jn 1.7).
4. No Novo Testamento, vemos o uso do recurso de sorteio para definir a vontade de Deus sobre decisão de quem seria o substituto de Judas no colégio apostólico (At 1.26)
5. Em geral não temos necessidade nem do Urim e do Tumim, nem de sorteios, para decisões. Oramos e seguimos o que nos manda a consciência, sempre esclarecida pela Escritura Sagrada.
Às vezes nos vemos num impasse, então propomos a Deus que nos ajude a decidir entre duas ou mais questões ou opções (como fez Gideão, de duas maneiras Jz 6.17-22; 36-40).
Fiz uso de recursos desse já em algumas ocasiões. Cito duas delas. Quando recebi carta JMN (Junta de Missões Nacionais) convidando-me para serviço missionário no Chile (em outubro de 1960), eu e minha esposa ficamos se saber o que decidir. Era noite quando lemos a carta. Oramos e entregamos o assunto nas mãos de Deus. Esperamos a resposta rogando a Deus que a desse deste modo: a disposição com a qual eu me levantasse no dia seguinte seria interpretada com a vontade de Deus. Se me levantasse com o pouco ou nenhum ânimo sobre a idéia de ir para o Chile, entenderíamos que a resposta era não; caso contrário, que era sim. E fomos dormir. No dia seguinte acordei e pulei da cama quase gritando: “ Vamos para o Chile! Vamos para o Chile!” E fomos. Damos graças a Deus pelas duras mas abençoadas experiências que lá tivemos durante cinco anos.
Nos oito anos em que fui professor no Seminário Presbiteriano de Campinas (SP), sentia a pobreza da literatura evangélica no Brasil. Era franciscana! Pensei: escrever não posso, primeiro porque o tempo era escasso (dava aulas sobre muitas disciplinas); além disso, quanto tempo levaria para publicar os livros que produzisse? Notando que tinha facilidade para traduzir, orei a Deus mais ou menos nos seguintes termos: “Senhor, se for um ministério válido e contará com tua benção, abre-me a porta para a tradução de bons livros cristãos. Mas, Senhor, quero ter certeza da Tua aprovação. Se aprovas isto, rogo-te que eu seja procurado para esse trabalho”. Eu não era conhecido como tradutor. Não muitos dias depois do início das minhas orações esse sentido, fui procurado por um editor evangélico. Resultado, até a presente data traduzi, sob a graça de Deus, 107 livros desde 1974
Espero que a presente resposta ajude a consulente e outros leitores a atitudes humildes e confiantes em sua busca de respostas do nosso poderoso, sábio e misericordioso Deus. Toda busca deve sempre estar fundamentada na obediência à vigorosa exortação bíblica: “À Lei e ao Testemunho” (Is 8.20).

Odayr Olivetti - Pastor Presbiteriano, Escritor e Tratuor

Publicado no Boletim 522 de 21/Jan/2007


COMO AS CRIANÇAS...

“... Quem não receber o reino de Deus como uma criança, de maneira nenhuma entrará nele”. Mc10: 15.

Você com toda certeza já percebeu a alegria estampada no rosto de uma criança ao receber um presente, mas o que quero lhe perguntar é se você já presenciou tal alegria quando o presente é composto de sorriso, carinho e tempo de qualidade.
Pude presenciar essa maravilha (ou recebê-la de presente) durante minha primeira viagem às comunidades ribeirinhas do Rio Negro, em especial a comunidade do Saracá. O Senhor preparou aquele dia para que eu pudesse vivenciar tal mistério.
O equipamento estava sendo preparado para o atendimento, quando uma senhora aproximou-se avisando que traria sua filha. Não demorou muito ela estava ali, com aquele sorriso típico de paciente odontológico: um misto de medo e nervosismo. Passei um tempo conversando e explicando a ela que não havia necessidade de chorar. A princípio achei que a conversa inicial tinha sido em vão, pois a criança passou todo o tempo do procedimento chorando alto.
Algum tempo depois fizemos uma visita e ela parecia bem, não demorou muito para que estivesse por perto novamente.
Durante a tarde ela veio até mim, apresentou-me sua irmã e me disse que tinha gostado muito de mim. A partir de então conversamos, tiramos fotos, uma graça, não podia me ver que ia me abraçando. Convidei-a para o culto à noite, mas ela não compareceu.
Como o Senhor é maravilhoso. Até hoje Ele tem ministrado ao meu coração verdades maravilhosas através daqueles preciosos momentos com a Andrieli, alguém com tão pouca idade, tão grandes problemas, um coraçãozinho tão bonito e um sorriso cativante. Às vezes paro e penso: se para nós é difícil dizer adeus, depois de um dia abençoado em uma comunidade, como eles se sentem, especialmente as crianças, quando partimos?
Receber o reino de Deus como uma criança... Penso que aos poucos venho compreendendo o que o Senhor Jesus tem me falado sobre isso: Recebê-lo com alegria, simplicidade e amor!

Karla Daniele V. Mendes - Dentista e Missionária

Publicado no Boletim 521 de 14 de Janeiro de 2007


ORAÇÕES TRANSFORMAM O CORAÇÃO DE PERSEGUIDORES

ÍNDIA - O ancião de 105 anos parou em frente aos companheiros da aldeia. O povo respeitava o velho homem e parou parar ouvir com atenção o que ele tinha a dizer. Quando as palavras começaram a sair de sua boca, as pessoas perceberam que algo estava drasticamente diferente.
“Queridos amigos e aldeãos, por muitos anos eu compreendi mal o cristianismo e persegui muito os cristãos”, ele começou. “Mas, por todos esses anos, eu não tive paz no coração. Então, compreendi meus pecados e vim a perceber que apenas Jesus Cristo poderia perdoá-los e me trazer paz de espírito. Assim, quer vocês me matem ou não, eu vou me batizar”.
O povo ficou atônito com sua corajosa confissão de fé. Eles quase não podiam acreditar no que viam quando o homem centenário e sua família escolheram se batizar e se tornar membros ativos da igreja local da Gospel for Asia (GFA).
Os líderes da GFA em Tripura, onde vive esse homem, não se surpreenderam com os acontecimentos. Eles vinham jejuando e orando para que Deus removesse o véu da hostilidade dos olhos daquele senhor. O sentimento anticristão é intenso nesse Estado ao leste da Índia. Alguns dos cristãos que freqüentam igrejas não conseguem emprego por causa de sua fé. Jovens cristãos não têm permissão para freqüentar a faculdade. Líderes e missionários que trabalham na área sabem que só existe um jeito de alcançar o coração endurecido de seus perseguidores intensa oração.
O Senhor ouviu suas orações e começou a abrandar o coração dos perseguidores. Alguns, como esse ancião, reagiram arrependendo-se e recebendo Jesus como seu Salvador. Deus usou o poderoso testemunho de mudança de vida desse senhor como um catalisador para transformar outros que anteriormente se opunham ao evangelho.
Deus é mais forte que qualquer homem.
Outro homem que perseguia os cristãos de modo inflexível ficou horrorizado quando seu filho recebeu Jesus como Salvador e decidiu se tornar um missionário. Esse pai enfurecido adoeceu e, acabou ficando paralítico. No leito do hospital, ele ouviu falar da conversão do senhor de 105 anos. Pouco depois, esse ex-perseguidor estava clamando por Deus também.
“Eu também pequei contra Deus perseguindo os cristãos”, ele admitiu. “Se Deus pode perdoar meu pecado, que Ele me perdoe e me dê paz de espírito!” Ele recebeu Jesus como Salvador e decidiu se batizar também.Os missionários da GFA enfrentam a perseguição de grupos anticristãos todos os dias, mas eles sabem que Deus é mais forte que qualquer homem. Desse modo, eles oram e perseveram em seu trabalho, confiando em Deus para mudar o coração dos perseguidores. Continue a orar por eles, enquanto eles compartilham o amor de Cristo nesses ambientes hostis.

Missão Portas Abertas - 29/12/2006

“QUANDO O HOMEM TRABALHA O HOMEM TRABALHA;
QUANDO O HOMEM ORA, DEUS TRABALHA”

Publicado no Boletim 520 de 07 de Janeiro de 2007